Buscar
  • SHARE | Epic Content

Como ajudar no combate à violência contra mulheres na África?


Os direitos das mulheres na África, especialmente em Moçambique, ainda giram em torno de casar e ter filhos. Diferentemente de outros países com situações econômicas mais evoluídas, elas não são educadas para estudar, realizar sonhos e construir uma carreira de sucesso.

Além disso, no comportamento da sociedade local, é possível avaliar que existe um machismo estrutural forte com influência direta nos casos de violência contra as mulheres. Claro que isso acontece em diferentes níveis no mundo inteiro, porém, a dificuldade de conseguir ajuda se torna outro agravante em regiões humildes.

Quer saber mais? Vamos mostrar como atuar no combate à violência contra as mulheres na África. Acompanhe:

Entenda como é a infância das mulheres na África

Cerca de 3 milhões de meninas, com idades entre 4 e 12 anos, têm uma parte do órgão sexual amputado na África. A maioria dos casos acontece em aldeias que consideram a amputação como uma tradição religiosa e cultural devido aos seus costumes conservadores e patriarcais.

Em locais assim, acredita-se que sem o processo de mutilação, a mulher não consegue se casar e ter uma vida feliz. A ONU estima que cerca de 140 milhões de meninas sofreram essa violência na infância e classifica o ato como uma prática cultural primitiva que fere a dignidade humana pela agressão à integridade física.

Conheça a atuação do governo africano

Os rituais culturais presentes nas tribos resultam em um cenário de extrema violência. Um dos principais exemplos está na África do Sul, onde, aproximadamente, uma mulher é violentada a cada 27 segundos.

Outro ponto alarmante é que uma menina tem mais chances de ser estuprada do que de aprender a ler. Por este motivo, o local se tornou conhecido pelo triste termo de “capital mundial do estupro”.

O Governo de Moçambique, em parceria com a União Europeia e a ONU, lançou em 2019 um programa de combate contra violência sexual, casamentos prematuros e em defesa dos direitos sexuais e reprodutivos. Esse projeto oferece também apoio médico e habitacional às vítimas de violência, já que a maioria vive em situação de miséria extrema.

Veja como ajudar projetos humanitários

Diante da situação das mulheres na África, projetos humanitários são criados para ampará-las em regiões em que os índices de pobreza são muito altos. Um trabalho importante , nesse caso, é realizado pela AJUDEMU. A Associação Juvenil atua no apoio ao desenvolvimento do distrito de Murrupula, em Moçambique.

Os projetos sociais são direcionados ao esporte, cultura, educação e saúde. Dentro das necessidades de acolhimento, existem escolas de costura que oferecem oportunidades de aprender uma profissão. Assim as “raparigas”, como são chamadas no português falado em Moçambique, conseguem melhorar a situação econômica e se tornarem mais esclarecidas.

Você pode ajudar as mulheres na África com doações online, por meio de financiamentos coletivos, que fazem toda a diferença na realidade de quem vive com muito pouco. Além disso, também é indispensável compartilhar as informações sobre campanhas de apoio para engajar os amigos e familiares.

Gostou das informações do artigo? Então conheça também mais detalhes sobre outros projetos realizados pela AJUDEM e os resultados alcançados.


Este conteúdo foi doado por SHARE | EPIC CONTENT

Planejador de Pauta: Carina Xavier

Redator: Talita Cristina de Carvalho Lopes

Revisão: Epic Content


20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo